Sobre Coaching e Psicoterapia

16296_500517606750117_8143069603693339713_n

“Apesar de sua larga e bem difundida utilização, os processos de coaching, em alguns momentos, ainda são confundidos com psicoterapia.

Talvez isso ocorra devido ao fato de que ambos, cada um de sua forma, tenham como objetivo auxiliar pessoas na busca pelo equilíbrio emocional, pela eliminação de problemas, pela realização de seus sonhos e, portanto, por melhores condições de vida. Contudo, essa confusão pode ser esclarecida de maneira relativamente fácil, vejamos:

Os processos psicoterapêuticos, em suas várias vertentes, buscam auxiliar pessoas com problemas ditos psicológicos, ou seja, que tem origem em seus inconscientes. Dessa forma, as soluções para os mesmos demandam investigações profundas na busca pelas causas centrais dos problemas ou crenças disfuncionais em termos mais técnicos.

De uma maneira simplista pode-se dizer que o psicoterapeuta auxilia seu paciente a trazer à tona da consciência o que de fato o afeta, possibilitando ao mesmo uma análise racional que contribuiu na eliminação ou superação de seu problema. Porém, de todas as formas o objetivo é o “tratamento” do problema.

Nos processos de coaching a abordagem é totalmente diferente, pois seu objetivo não é o de “tratar problemas”, mas sim de possibilitar ao Coachee (cliente) que ele passe de uma situação atual que não o agrade ou não o satisfaça para uma situação futura ideal. Muitas vezes a busca do coachee é por superação, ou seja, melhorar o que já está bom.

As técnicas utilizadas nos processos de coaching, trabalham no “ambiente” racional, fazendo com que o coachee, de uma forma estruturada, procure novas vias de pensamento, buscando ações e soluções diferentes das que vinha praticando e obtendo sozinho, ou seja, antes do auxílio do coach (condutor do processo de coaching).

Os processos de coaching são focados nas soluções, os problemas em si e o passado somente servirão quando puderem agregar experiência ao coachee e o auxiliem a atingir suas metas futuras.

Em síntese, os processos psicoterapêuticos “tratam” problemas psicológicos, os processos de coaching suportam a busca de resultados melhores. Ambos são totalmente recomendáveis, tendo, porém, públicos e momentos totalmente diferentes”.

Roberto José Ocon Godoy

About The Author

Dani Teixeira

Formada e pós-graduada em algo que nunca lhe deu prazer. Conheceu o coaching, enfrentou um divórcio complicado, abandonou a advocacia no serviço público, fundou a Reconstruindo Histórias e passou a trabalhar apenas com o que ama: ajudar outras pessoas a reconstruírem suas histórias. Hoje é Master Coach, Analista Comportamental e Membro da SLAC – Sociedade Latino Americana de Coaching.

Ei! Participe deixando seu comentário! Não custa nada... :o)